Textos

A PAZ DO SORRISO

 Peguei-me sorrindo, e enquanto ria
Notei você como presença minha.
Qual o porquê?... Outra razão não vinha
Senão carícias tuas em mim, Maria!
 
“És louco!...” Pode ser tua reação.
“Ah! Tão longe vai aquele instante!
Como o meu surgir nesse repente?
Como tu podes rir sem embrião?”
 
Oh, minha querida, pensas em causa?
Eles permanecem vivos em mim,
Semente plantada com teu carinho,
 
Regados, cuidados por mim sem pausa,
Livres, saem de ti e a mim vêm assim
Os teus sorrisos daquele cantinho!

 
Ismeraldo Pereira
Enviado por Ismeraldo Pereira em 09/10/2017
Alterado em 21/06/2018
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários